Sarampo: A Importância da Vacinação. Tire Suas Dúvidas.

O maior problema, no entanto, envolve as crianças, que têm o sistema imunológico mais frágil. Entre elas, quadros de pneumonia, convulsões e morte são mais comuns...

O sarampo é uma doença infectocontagiosa provocada por um Morbilivirus e transmitida por secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de cerca de 12 dias, mas a transmissão pode ocorrer antes do aparecimento dos sintomas e estender-se até o quarto dia depois que surgiram placas avermelhadas na pele.

O sarampo é uma doença potencialmente grave. Em gestantes, pode provocar aborto ou parto prematuro.

Sintomas comuns:
  • Manchas avermelhadas na pele (exantema maculopapular eritematoso), que começam no rosto e progridem em direção aos pés;
  • Febre;
  • Tosse;
  • Mal-estar;
  • Conjuntivite;
  • Coriza;
  • Perda do apetite;
  • Manchas brancas na parte interna das bochechas (exantema de Koplik);
  • Pneumonia;

O maior problema, no entanto, envolve as crianças, que têm o sistema imunológico mais frágil. Entre elas, quadros de pneumonia, convulsões e morte são mais comuns.

Sarampo: A Importância da Vacinação. Tire Suas Dúvidas.

sarampo

O diagnóstico do sarampo pode ser feito através da observação de seus sinais e sintomas, especialmente nos lugares mais afetados pela doença, ou em caso de epidemia, mas pode ser necessário fazer um exame de sangue que evidencia a presença de vírus e anticorpos contra o sarampo, quando se encontra num local que raramente é afetado pela doença.

Leia também: Surto de Sarampo no Brasil

Outras doenças que podem causar sintomas semelhantes e por isso podem ser confundidas com o sarampo são rubéola, roséola, escarlatina, doença de Kawasaki, mononucleose infecciosa, febre maculosa das montanhas rochosas, infecção por enterovírus ou adenovírus e a sensibilidade (alergia) aos medicamentos.

O sarampo coça?

Ao contrário de outras doenças como a catapora ou a rubéola, as manchas do sarampo não causam coceira na pele.

Formas de tratamento:

O tratamento do sarampo consiste em diminuir os sintomas através de repouso, hidratação adequada e uso de medicamentos para baixar a febre. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também indica a suplementação com vitamina A para todas as crianças diagnosticadas com sarampo.

Normalmente a pessoa com sarampo se recupera completamente, alcançando a cura em cerca de 10 dias após o início dos sintomas. Mas pode-se indicar o uso de antibióticos quando existem evidências de infecção bacteriana associada, se a pessoa apresentar também infecção de ouvido ou pneumonia, porque estas são complicações comuns do sarampo.

Como prevenir o sarampo?

A melhor forma de prevenir o sarampo é a vacinação contra a doença, no entanto, existem alguns cuidados simples que também podem ajudar, como:

  • Lavar as mãos frequentemente, especialmente após estar em contato com pessoas doentes;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz ou boca, caso as mãos não estejam limpas;
  • Evitar estar em locais fechados com muita gente;
  • Não ter contato muito direto com pessoas doentes, como beijar, abraçar ou partilhar talheres.

Certamente o  isolamento do doente é outra foram eficaz de impedir o contágio da doença embora somente a vacinação seja realmente eficaz. Por isso, caso uma pessoa seja diagnosticada com sarampo, todos os que mantém contato próximo com ela, como os pais e irmãos, devem ser vacinados, caso ainda não tenham sido, e o doente deve ficar em casa, de repouso, sem ir para a escola ou trabalho, para não contaminar os outros.

Complicações da doença:

Na maior parte dos casos, o sarampo desaparece sem causar qualquer tipo de sequela na pessoa, no entanto, em pessoas com o sistema imune mais enfraquecido, podem surgir algumas complicações como:

  • Obstrução das vias respiratórias;
  • Pneumonia;
  • Encefalite;
  • Infecção do ouvido;
  • Cegueira;
  • Diarreia grave que leva à desidratação.

Algumas situações em que a pessoa pode estar com o sistema imune deficiente, que seu corpo não consegue se defender do vírus do sarampo, incluem as pessoas em tratamento contra o câncer ou contra a AIDS, as crianças que já nasceram com o vírus HIV, pessoas que receberam algum transplante de órgão ou que estão em estado de desnutrição.

Gostou do artigo!

Inscreva-se na nossa newsletter e receba grátis nossas novidades

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.