Coronavírus: Tudo o que precisamos saber sobre esse vírus mortal.

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

Saiba Mais:  Infecção por vírus e medidas preventivas

Quais os sintomas principais e no que eles diferem do resfriado comum?

Assim, os sinais e sintomas do novo coronavírus são principalmente respiratórios e se assemelham aos de um resfriado. Do mesmo modo, eles incluem principalmente febre, tosse e dificuldade para respirar ou falta de ar. Em casos mais graves, podem causar também a infecção do trato respiratório inferior, como exemplo as pneumonias. O quadro completo da Covid-19 ainda não está claro. Segundo estudo clínico, 80% tiveram sintomas moderados.

Como reduzir o risco de infecção pelo novo coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Evitar contato com pessoas que apresentem infecções respiratórias agudas e ficar em casa quando estiver doente;
  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, especialmente após contato direto com pessoas doentes e, no caso de não haver água e sabão, é recomendado utilizar o álcool 70%;
  • Usar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo e limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações. Também se deve evitar o consumo de produtos de origem animal cru ou mal cozido.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Não há, por enquanto, tratamentos com remédios ou terapias indicados contra a Covid-19 ou coronavírus. Isso não significa, porém, que não há nada a se fazer.

Dados sobre a pandemia

Para 80% das pessoas que desenvolverem a Covid-19, os sintomas serão leves ou mesmo assintomáticos, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nesse caso, a orientação dos especialistas têm sido por exemplo que as pessoas fiquem em casa, em isolamento de familiares, se possível, e adotem medidas de combate a infecções virais.

Em suma, o tratamento contra a Covid-19 muda em outros grupos. Cerca de 15% das pessoas terão uma infecção mais severa, que exigirá o uso de oxigênio e 5% terão uma condição crítica, com a necessidade de ventilação. Dessa forma, para essas pessoas, o tratamento será hospitalar.

Isolamento domiciliar: o que significa e por quanto tempo?

No caso de diagnóstico para a Covid-19, é bem provável que o médico aconselhe a ficar em casa, em isolamento. Certamente, na prática, isso significa algumas medidas que a família deverá adotar:

  • Permanecer, de preferência, em um ambiente da casa onde possa ficar sozinho. Dormir e se alimentar nesse local, longe dos demais, é uma orientação.
  • Se não for possível ficar isolado em um quarto, mantenha uma distância de 1,5 metro a dois metros dos outros moradores.
  • Não compartilhe talheres ou utensílios de cozinha;
  • Não compartilhe produtos de uso pessoal, como os de higiene;
  • Cuidado redobrado quando for tossir ou espirrar, tendo em mente a etiqueta da tosse/do espirro;
  • Descarte o material de higiene pessoal no lixo;
  • Lave as mãos com frequência;
  • Não segure crianças no colo;
  • Evite contatos muito próximos, como beijos e abraços;
  • Permaneça em sua casa. Evite locais com aglomeração, como shoppings, praças, parques e praias cheias de pessoas.

Enfim, essas orientações devem ser seguidas por, pelo menos, 14 dias, que é o tempo de incubação da doença.

Para saber mais sobre prevenção é só clicar:

 

Gostou do artigo!

Inscreva-se na nossa newsletter e receba grátis nossas novidades

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Pin It on Pinterest

Share This

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.