Gordura Abdominal X Problemas Cardíaco. Qual a Relação?

A distribuição de gordura corpórea pode ocorrer em forma de pera, quando acontece acúmulo de gordura no quadril, ou na forma de maçã, quando a gordura se concentra no abdômen....

A circunferência abdominal máxima, ou seja, aquela que não aparenta risco à saúde é diferente entre homens e mulheres. Para o sexo masculino, ela deve medir até 94cm e, nas mulheres, a medida não deve ultrapassar a marca de 80cm.

A distribuição de gordura corpórea pode ocorrer em forma de pera, quando acontece acúmulo de gordura no quadril, ou na forma de maçã, quando a gordura se concentra no abdômen.

Gordura Abdominal X Problemas Cardíaco. Qual a Relação?

 E neste segundo ‘padrão’, o indivíduo atinge nível de obesidade denominada ‘androide’, que pode causar a síndrome metabólica, que é um quadro clínico patológico que pode aumentar o risco de doenças como diabetes e doenças cardiovasculares.

Tanto na ocorrência de gordura abdominal aumentada, quanto nos quadros de obesidade, o risco de desenvolvimento de doenças relacionadas ao coração também é elevado. O metabolismo “reage” à obesidade criando um ambiente inflamatório e provocando alterações sistêmicas, o que favorece a ocorrência de doenças associadas como:

  •  pré-diabetes ou diabetes tipo 2 (alteração de glicemia e insulina)
  • aterosclerose (aumento no depósito descontrolado e inflamatório de gordura nas artérias).

Como perder a gordura abdominal?

São diversas as maneiras que você tem para perder a gordurinha na barriga. Uma dieta balanceada e equilibrada aliada à prática de atividades físicas é o caminho para uma vida mais saudável.

Não pense duas vezes em marcar uma consulta para que tudo seja feito da forma responsável e segura.

Dicas:

1 – Consumo adequado de fibras solúveis e insolúveis para favorecer a eliminação adequada de gorduras em excesso

2 – Consumir cinco a sete porções de frutas e vegetais de cores variadas ao dia (pelo menos 400g)

3 – Substituição de gorduras hidrogenadas ou trans por outras fontes mais saudáveis como as gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas (abacate, azeite extra virgem e óleo de macadãmia)

4 – Redução ou exclusão do consumo de açúcar refinado e alimentos processados ricos em xaropes de glicose ou milho

5 – Aumentar o consumo de alimentos “in natura” (aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais sem que tenham sofrido qualquer alteração após deixarem a natureza)

6 – Evitar o consumo de farinhas brancas ou refinadas e/ou processadas em pães, massas, biscoitos e outros industrializados

7 – Buscar alimentos como chá verde, farelo de aveia e uma gama de frutas e vegetais quem ajudam na prevenção de doenças cardiovasculares

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.